As Plantas estão Sempre Imóveis?

11/06/2014
Girassol

Girassol – Fonte: topwalls.net

Por serem fincadas no solo, as plantas dão a impressão de que estão sempre imóveis. No entanto não é isso o que acontece. Esses seres vivos são capazes de realizar diversos movimentos, por meio de estímulos internos e externos. Esse tipo de deslocamento é conhecido por movimento vegetal, que começou as ser pesquisado por volta de 1880, pelo pai e filho Charles Darwin e Francis Darwin, respectivamente.

Ambos fizeram estudos sobre os efeitos que os raios solares causavam no crescimento das plantas. As conclusões e curiosidades adquiridas foram publicadas no livro The Power of Movement in Plant. Segundo a obra, quando os vegetais em início de crescimento (ou seja, os brotos) ficam em exposição à luz solar, ocorre uma transmissão de influência por parte superior à inferior. Desse modo, a parte inferior da espécie vegetal acaba se encurvando, comprovando que as plantas se movem.

Onze-Horas (Portulaca grandiflor)

Onze-Horas (Portulaca grandiflor) – Fonte: Biswarup Ganguly

Os movimentos vegetais são classificados como tactismos, tropismos e nastismos. Os tactismos ocorrem quando todo o organismo se movimenta. As algas são um exemplo desse movimento. Elas se aproximam ou se afastam da superfície da água, ao longo do dia, à medida que buscam luminosidade. Os tropismos e os nastismos correspondem aos movimentos de órgãos (isto é, de partes) das espécies vegetais. A diferença entre eles é que o tropismo depende da direção do estímulo; e o nastismo, da intensidade do estímulo. Quando falamos de estimulo, estamos falando do fator que estimula o movimento vegetal. Um exemplo de movimento do tipo tropismo é quando o caule se curva para a luz que surge em uma janela; e uma boa ilustração de um movimento tipo nastismo é quando a flor onze-horas abre as pétalas no período em que a luz do dia é mais intensa e a temperatura é mais elevada.

Dormideira (Mimosa Pudic)

Dormideira (Mimosa Pudica) – Fonte: classvendas.com

Os nastismos são considerados movimentos reversíveis, e outro exemplo desse movimento é o caso da Mimosa pudica, a popular planta dormideira. Este gênero fecha seus folíolos (as subdivisões das folhas) por meio de um ato mecânico. E o tropismo pode ser dividido em duas categorias: positivo e negativo.

O tropismo positivo se refere ao movimento realizado em direção ao estímulo natural. Já o tropismo negativo faz referência ao movimento feito em direção contrária ao estímulo. Além disso, no tropismo, a auxina (substância que estimula o crescimento das plantas) é distribuída de forma desigual entre os lados da planta. Isso faz que um dos lados se desenvolva mais devagar de que o outro.

Rainha-da-Noite (Hylocereus undatus)

Rainha-da-Noite (Hylocereus undatus) – Fonte: olhares.uol.com.br

Adquira lindas espécies de flores, no site da Giuliana Flores!

 

Compartilhe este artigo

4 Comentários para “As Plantas estão Sempre Imóveis?”

  1. Manuel

    Gostaria de receber informações sobre as plantas. Adora as plantas e gosto muito do site da Giuliana Flores.
    Um Beijo.

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>